sábado, 27 de maio de 2017

A volta do Almanaque Disney - considerações

O Almanaque Disney está de volta, publicado pela Abril Jovem, retomando a continuação numérica após cerca de doze anos de hiato. A partir de 20 de Junho, a revista volta às bancas contendo 100 páginas, preço de R$ 9,90 (nove reais e noventa centavos) e a prioridade de inserir aventuras inéditas em meio a algumas republicações. Segundo a própria Abril Jovem, grande percentual da revista será inédito, ou seja, trará HQs nunca antes publicadas aqui. 


O título também ficou marcado por comportar uma grande diversidade de universos 'disneyanos' - personagens como o indiozinho Havita, por exemplo, Ursinho Puff, Quincas, Mogli entre outros que dificilmente apareciam nas demais revistas, além das seções "Maravilhas da Natureza" e "Zoo Disney". 

Particularmente falando, o que percebi que devemos esperar dessa volta são mesmo as histórias inéditas. Há muito material que ainda não veio para cá. Será que o foco estará nas tramas mais icônicas e recentes? 

Um bom exemplo é "Ratópolis": produzida em Janeiro deste ano, na Itália, a HQ homenageia o filme "Metrópolis", uma ficção científica de Fritz Lang, feita há 90 anos (saiba mais aqui)

"Ratópolis" já está publicada em Disney BIG n° 45, que acabou de chegar às bancas. 


Será que teremos histórias inéditas antigas? Aquelas que já contam com mais de 20 ou 30 anos e ainda não conhecemos? Certamente que elas não possuem apelo midiático, Por isso, a dúvida: O que veremos, de fato, na retomada do Almanaque Disney? 

Estou otimista. Há tempos venho expressando satisfação para com os quadrinhos publicados nas revistas mensais, que trazem roteiros e desenhos de qualidade, proporcionando bom divertimento. Acredito que Almanaque Disney cumprirá bem o seu papel. 

Ainda me lembro do tempo em que era difícil encontrar uma revista em quadrinhos regular da Disney nas bancas. Cheguei a pensar que nunca mais veria um gibi do Mickey ou do Donald. A Abril passou por muitos momentos delicados, algumas vezes, consequência dos péssimos momentos financeiros do país. Em outras, coincidência ou não, uma recessão de leitores que acabaram migrando para outras bandas e formas de lazer. 

Em meio a uma longa trajetória de muito sucesso, vieram também vários tropeços e quedas. As publicações Disney foram se tornando cada vez mais escassas, difíceis de serem encontradas. Tudo levaria a crer em um fim iminente. Porém, mesmo rastejando vagarosamente e quase sem forças, as publicações continuaram. E por algum motivo foram ganhando fôlego e se fortalecendo, cada vez mais, reerguendo-se novamente, multiplicando-se e trazendo novidades. 

Hoje, tanta luta está aí, em vários títulos consolidados, outros retomados... e até em edições de luxo estão investindo! 

É verdade que nem tudo é perfeito. E não podemos fechar os olhos às falhas, Entretanto, fico me perguntando se alguma outra editora teria essa mesma garra, jogo de cintura e paciência para driblar as dificuldades a fim de manter toda essa longevidade dos quadrinhos Disney. 

A Abril Jovem merece todo o respeito, o reconhecimento e uma salva de palmas por todo o material Disney que tem nos entregado até aqui.


Abraços a todos.

Fabiano Caldeira.


4 comentários:

  1. Já fiz um comentário desse no face, reforço aqui. O que a Editora Abril está fazendo hoje é honrando Victor Civita, o fundador, o que decidiu publicar a revista do Pato Donald na década de 50 e que, segundo li em algum lugar, disse que a Abril devia tudo o que ela era a essa publicação e por isso não deveria deixar de lado os quadrinhos. To bem por fora de quem da familia continua no controle da Editora, mas o legado permanece e com certeza ele ficaria orgulhoso do que está sendo lançado hoje.

    E pelo jeito com sucesso de vendas. Reimpressão de A Saga, de Era uma vez na América, de Os 80 anos do Pato Donald, etc. Os manuais. Quanto ao cancelamento da Mega Disney e Jumbo acho aceitável, já que eram de republicações. O mesmo vale pros almanaques bimestrais que eu já não vinha comprando tem um bom tempo por causa do preço e republicações.

    As mensais é uma parte muito importante na minha vida de leitor dos quadrinhos e colecionador. Guardo as minhas de quando era criança desde a década de 90. Dou total apoio, mesmo sendo o tão mal falado papel jornal. Que, apesar de tanta reclamação, resiste bem ao tempo.

    O novo Almanaque Disney seria só elogios. Capa ficou linda. Chamada da HQ principal. Destaque pros personagens que tem HQ na revista. Só lamento por não ser lombada quadrada. É uma nova publicação mensal de inéditas. Vou acompanhar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, Sérgio! Muito legal seu depoimento! Valeu por ter compartilhado aqui!

      Um forte abraço.

      Fabiano Caldeira.

      Excluir
  2. Oi, Fabiano... Tdo bem?

    Acho até q demorou pra Abril relançar o "almanaque", q (vc deve lembrar) os leitores já vinham pedindo a volta desde os tempos daquela comunidade q participávamos no finado Orkut (com aquele fake q falava o bordão: "rererererepublicações")... O único problema a meu ver é a lombada canoa (até por uma questão de remeter à versão original da revista, acho q deveriam manter a lombada quadrada e pelo menos 132 pág q nem antes)!

    Mesmo assim, acho q é um relançamento mais q bem-vindo nas bancas... pois os personagens mais "restolhos" da Disney (digo, os menos conhecidos do grande público) precisavam de um espaço no mercado!

    Eu imagino (palpite) q o "almanaque" trará um misto de material clássico INÉDITO (q nem no encadernado "Tesouros Disney") e material atual tbm inédito! Seja como for, material pra compor a revista é o q não faltará, pois existem TONELADAS de HQs antigas q nunca deram as caras por aqui (e outro tanto de material recente q tbm foi pulado nas últimas décadas)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Leo! Bom te ver!

      Eu compreendo o apelo do pessoal (uma grande massa, diga-se de passagem) para que a lombada seja quadrada. Acho que seria mesmo o ideal. E as 132 páginas seriam bem vindas, ou até um pouco mais. Por que não algo como o atual Disney Especial, que tem mais páginas e capa mais dura?

      Por outro lado, já estava acontecendo tantas reclamações sobre os almanaques bimestrais, no aspecto da encadernação com lombada quadrada, que devem ter chegado à decisão de que não gostariam de ver essas mesmas reclamações na volta do Almanaque Disney, pois não deixa de ser um fator negativo que pode "miar" as vendas logo nessa retomada. Já pensou, logo neste primeiro número de volta, surgir imagens na internet com páginas invertidas, páginas trocadas e capas enrugadas, amassadas e onduladas? Ia pegar super mal! Não duvido que, com o tempo, eles reconsiderem e voltem a colocar mais páginas. No fundo, eles sabem que a caracterização de um almanaque de respeito é a lombada quadrada e uma grande quantidade de páginas. Estou otimista que este é um começo tímido que, se obtiver sucesso, pode se tornar algo melhor com o tempo. E é claro que não se pode deixar de reivindicar essas características, senão já viu... se acomodam.

      Um abraço, e vamos torcer para que essa volta dê certo, pois estou com uma impressão (tomara que equivocada) de que as edições de luxo, em breve, passarão por um cenário diferente de hoje.

      Excluir

Peço educação e gentileza na troca de ideias. Obrigado!